29.11.05

Arte

No museu, todos bebendo, felizes, observando as telas. Dentre elas, uma toda amarela. Todos ricos, felizes, sorrindo para as telas. E lá estava ela, uma todinha amarela. Todos parabenizavam o artista, que sorria, orgulhoso de sua tela. A amarela. Mariano, o guarda do Museu, observava. Em seguida, punha as mãos na cabeça, chorava e indagava: porque eu não fiz isso antes??

2 Comments:

Anonymous Di said...

hehehe

12:23 PM  
Blogger Dioguinho said...

Ou Luiza, muito tempo que nao nos encontramos, mas achei muito legal te achar por aqui. Oque voce escreve é muito bom, parabéns. Um beijo grande, Dioguinho.

9:11 PM  

Postar um comentário

<< Home