5.10.05

Fim

No momento em que percebeu que aquele era seu último suspiro, prendeu a respiração. Suas últimas palavras não poderiam ser dirigidas a uma enfermeira assustada. Enfim, com um amargo sopro, faleceu. Morto, assistiu ao filme da sua vida. Metade era censurada.
Metade da vida são as memórias inventadas.

5 Comments:

Blogger superid said...

devia ter guardado essas palavras pruma ocasiao especial. nao que esta nao seja. as vezes acho que os bons deviam guardar suas melhores obras. off topic, mas pertinente.

12:49 PM  
Anonymous Di said...

Fiquei sem ar só de imaginar. Mais uma memória inventada por Luiza Voll!

1:07 PM  
Blogger Dudi said...

Isso é artístico! O estado de invenção.

beijo

2:11 PM  
Anonymous Anônimo said...

fins e começos, né?

http://routesroads.blogspot.com/

abs.

8:40 AM  
Anonymous Anônimo said...

uau!

9:03 PM  

Postar um comentário

<< Home